Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

politicaxix

politicaxix

01.Abr.05

A simbiose perfeita entre manifestantes e sensacionalistas

Que danos poderão causar um bando de sete manifestantes? Aparentemente nenhum. É de todo lógico pensar que os arruaceiros precisem de se constituir em grupos numerosos por forma a causar distúrbios de uma forma eficiente. Porém tal não é inteiramente verdade. O aparecimento de um outro grupo de inúteis da sociedade, os “jornalistas” sensacionalistas, proporciona aos manifestantes condições propícias para que as suas acções tenham um grande impacto sobre a sociedade, mesmo que estes manifestantes sejam em pequeno número. E se por um lado os manifestantes precisam dos sensacionalistas para potenciar as suas actividades, por outro lado os sensacionalistas precisam também dos manifestantes para “criar” os factos noticiosos com que intoxicam a opinião pública. É a simbiose perfeita entre arruaceiros e sensacionalistas.

Mas como se processa esta simbiose? É simples. Antes de mais, os arruaceiros constituem-se em pequenas Organizações Não Governamentais (ONGs) que não são mais que apêndices do PCP e do BE, mas que lhes transmitem um falso aspecto de credibilidade. Por exemplo, hoje à porta do tribunal de Setúbal manifestaram-se algumas dezenas de membros do PCP e do BE, porém o que foi dito à opinião pública, foi tratar-se de um grande número de “associações cívicas” como a UMAR ou a Não te Prives e até mesmo a CGTP, todas elas ramificações dos referidos partidos.

Os “jornalistas” sensacionalistas são então atraídos a estes bandos Esquerdistas como se fossem moscas. Cheira-lhes a sangue e como qualquer necrófago, lá estão eles à espera do que poderá acontecer. Que interesse jornalístico poderá ter a concentração de sete gatos pingados em frente ao portão de uma empresa, como no caso da Vicaima? Absolutamente nenhum. O facto é criado pelos próprios jornalistas com a sua presença.
Os jornalistas proporcionam a estes manifestantes um considerável tempo de antena em horário nobre, e como agradecimento, os meliantes provocam distúrbios que irão encher os telejornais e os sensacionalistas de felicidade. No caso da Vicaima, os manifestantes alegando suspeitas (dos próprios manifestantes, claro) de que a empresa poderá estar a usar madeira ilegal, acorrentaram-se aos portões da empresa, impedindo a entrada dos empregados e forçando à intervenção da polícia. Entretanto a empresa e o país perderam milhares de euros, coisa que como é natural não interessa aos manifestantes nem aos sensacionalistas. Evidentemente que os arruaceiros só tomam semelhantes atitudes porque sabem que tal lhes irá proporcionar um lugar de destaque nos telejornais. Caso não contassem com a cumplicidade dos jornalistas, ser-lhes-ia inútil provocar distúrbios.

Consequência lógica dos factos, um dos administradores da Vicama acabou por se exaltar e por tentar afastar um dos operadores de câmara da SIC. Os tresloucados responsáveis da SIC consideraram então que tal corresponde a uma violação ao seu direito de informar, punível com uma pena de prisão até dois anos, e apresentaram a respectiva queixa. Não deixa no entanto de ser anedótico o facto de que, a própria reportagem da SIC é a prova de que não houve qualquer limitação à informação e que, como tal, a sua queixa é totalmente improcedente.

A este propósito, no seu blog, também os barnaburros zurraram insultos contra a polícia e contra os empresários. “O que mais me envergonha é sórdida GNR” disse um inculto. Outro, mais ortodoxo, argumentou: “A VICAIMA, em conjunto com a JOMAR e o Grupo FINIBANCO, está ligada à 16ª fortuna nacional – ÁLVARO PINHO DA COSTA LEITE -, de acordo com a edição de 2004 da revista EXAME com o ranking dos mais ricos de Portugal. Diz a Exame: “É irmão de Ilídio Pinho e de António, Armindo e António Pinho da Arsopi. Construiu a pulso a sua ascensão bilionária que tem como principal suporte os negócios na indústria das madeiras.”” Afinal, o que move ideologicamente estes barnaburros é mesmo um ódio irracional contra quem subiu na vida a pulso e cujo mérito contrasta com a sua própria mediocridade.

7 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2006
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2005
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D