Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

politicaxix

politicaxix

14.Dez.05

...

minispot3.jpg
O candidato à Presidência da República, Mário Soares, foi hoje agraciado com o título de GRÃO MESTRE DA ORDEM DE JUDAS.



Será que, passado este conturbado período pós-revolucionário, ainda faz sentido um presidente cujo perfil se ajusta mais ao de um traidor que ao de alguém que lutou pelo bem do país?
12.Dez.05

...

minispot2b.jpg

confronto.jpg
Ontem em Barcelos, ocorreu um dos mais rocambolescos episódios desta campanha eleitoral. O veterano da guerra de Angola, Augusto Rodrigues da Silva (à direita na foto, de boina militar), viu-se repentinamente envolvido numa altercação com um idoso (à esquerda na foto, de flor ao peito). Aparentemente o idoso teria estado de alguma forma envolvido no assalto feito em 1967 pela Liga de Unidade e Acção Revolucionária (LUAR) à dependência da Figueira da Foz do Banco de Portugal, que terá servido para financiar a guerra ultramarina contra Portugal (um traidor, portanto). Os ânimos exaltaram-se e os dois beligerantes acabaram por ter que ser separados por populares. Augusto Rodrigues da Silva afirmou entretanto que não irá apresentar queixa contra o idoso, por se tratar de alguém "que aparenta ser atrasado mental".
10.Dez.05

...

minispot2.jpg
Mário Soares estava indignado. O debate entre o seu ex-amigo Manuel Alegre e o candidato da Reacção, Cavaco Silva, não correra como o previsto. Muito cordial e com poucos ataques pessoais. Com ele, os debates não seriam assim...

epi1fig1.jpg
Chegado o ansiado momento do debate que oporia Mário Soares a Jerónimo de Sousa, as televisões colocaram a bolinha vermelha no canto do ecrã e os pais mandaram as crianças para a cama. Todos esperavam mortos e feridos... eis o que sucedeu:

08.Dez.05

Candidatos fedorentos

Esqueçam os gatos fedorentos. Os três canais de televisão estão agora a passar uma novela verdadeiramente impagável intitulada “Os candidatos fedorentos”. Todos os dias, pouco depois das oito da noite, lá estão eles quais bucha e estica em campanha eleitoral. Para os mais desatentos, o Política XIX deixa aqui o resumo dos últimos episódios.


Resize of Resize of fedorentos1.jpg
Lá pela Primavera, os humoristas Soares e Louçã assumiam o papel de políticos desinteressados, tendo ambos jurado a pés juntos que nunca se candidatariam à Presidência da República. O humorista Soares afirmou mesmo, em directo na televisão, que uma eventual candidatura sua “era um completo disparate” e que “não fazia sentido nenhum”.


Resize of Resize of Resize of fedorentos2.jpg
Chegado o Verão, já ambos eram candidatos.


fedorentos3d.jpg
Nos episódios que se seguiram ambos os humoristas procuraram justificar as suas decisões de se candidatar à presidência. Soares afirmou que a sua decisão se tornara um imperativo devido à situação do país, situação essa que seria impensável na Primavera quando garantiu que não seria candidato. Ou seja, a situação do país apenas se tornou catastrófica após a Primavera, portanto, após o PS chegar ao governo, partido que aliás o apoia. Já o humorista-demagogo Louçã afirma candidatar-se para combater a Direita. Em Maio ninguém estava à espera que a Direita viesse a apresentar algum candidato.


fedorentos4b.jpg
Nos últimos episódios, o humorista Soares criticou Cavaco Silva por mudar de opinião em relação a algumas coisas que disse há mais de 10 anos. Soares, que nunca alterou as suas posições, é a pessoa certa para tais críticas. Já o humorista-demagogo Louçã, defendeu na entrevista com Judite de Sousa a necessidade de substituir os políticos actuais por novos políticos. Refira-se ainda que Louçã já anda na política desde 1972, embora nessa altura os seus actos políticos se limitassem ao consumo charros e partir montras, e que já se candidatou por 10 vezes em diversos actos eleitorais.


E a palhaçada vai continuar até Janeiro, em todos os telejornais, numa televisão perto de si.
02.Dez.05

Entrevista de Mário Soares à RTP

Há alguns meses, após a vitória do PS nas últimas legislativas, Mário Soares concedeu uma entrevista à SIC notícias na qual comentou uma eventual candidatura sua à Presidência da República afirmando tratar-se de algo que "não fazia sentido nenhum". Meses depois, no princípio de Agosto, Mário Soares decide candidatar-se à Presidência da República. Em poucos meses, algo que segundo o próprio se tratava de "um disparate sem sentido nenhum" transformou-se num imperativo.
Na passada quarta feira, em entrevista à RTP, Mário Soares esclareceu quais as razões que motivaram tão inopinada mudança de opinião: O país atravessa uma situação extremamente difícil, o que não era minimamente previsível aquando da sua entrevista à SIC notícias.
Portanto, segundo Mário Soares, a situação extremamente difícil que o país atravessa é da exclusiva responsabilidade do governo PS. Quando o governo PS tomou posse, e ainda no entender de Mário Soares, não era sequer previsível que a situação se pudesse degradar a este ponto.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2006
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2005
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D