Quinta-feira, 17 de Março de 2005
Dois milhões de pobres em Portugal
pobre1.jpg

Dois milhões de pobres em Portugal - Números têm vindo a agravar-se nos últimos anos

Segundo os últimos números, e apesar de todos os recursos canalizados nos últimos anos para o combate à pobreza, há em Portugal cerca de dois milhões de pobres, número que continuará a aumentar nos próximos anos. É verdade que há estagnação económica, e há desemprego. Mas a estagnação só por si não pode ser responsável por aumento da pobreza, e o desemprego é ainda baixo quando comparado com a média da União Europeia, e em particular quando comparado com a vizinha Espanha. Então como explicar este crescente número de pobres em Portugal? Segundo noticiou ontem a SIC notícias, a causa para o aumento da pobreza em Portugal é a imigração.

Em Portugal existem legalizados cerca de 500 000 imigrantes, número que não inclui os imigrantes ilegais (em número indeterminado), os imigrantes naturalizados (os imigrantes de países de expressão Portuguesa têm direito à nacionalidade Portuguesa ao fim de seis anos de permanência em Portugal) nem os filhos dos imigrantes. Todos estes são potenciais pobres resultantes do fenómeno da imigração. O número estimado de novos imigrantes que entram em Portugal todos os anos não deverá andar longe dos 100 000.

Seja qual for o valor exacto, é uma grande quantidade de imigrantes que todos os anos chega a Portugal. A grande maioria destes imigrantes é pobre, alguns são mesmo muito pobres, e todos os anos este número é adicionado ao número dos pobres já existentes em Portugal. Por mais que alguns sectores retrógrados da sociedade tentem esconder o facto, a verdade é por demasiado evidente: Cada imigrante pobre que entra em Portugal, é mais um pobre a viver em Portugal.

Contudo os focos de pobreza introduzida pela imigração em Portugal não afectam apenas imigrantes. O fenómeno é em tudo análogo ao que ocorre com a introdução de um cubo de gelo num copo de água. Através dos mecanismos de redistribuição de calor o cubo de gelo acaba eventualmente por se derreter, ao passo que toda a água arrefece. Com a imigração passa-se um fenómeno semelhante, os mecanismos de redistribuição de riqueza permitirão aos imigrantes gradualmente melhorar a sua condição económica, mas isso é feito às custas da degradação das condições de vida da restante população. A imigração não aumenta o rendimento per capita (riqueza produzida por habitante), antes pelo contrário reduz esse rendimento, pelo a riqueza disponível por habitante é menor e o país como um todo empobrece.

A população de um país mais atingida pela chegada de imigrantes é precisamente aquela que à partida já era a mais desfavorecida. Os imigrantes são em geral tão ou mais pobres que eles, pelo que a acção do Estado no combate à pobreza através da atribuição de habitação e apoios sociais que beneficia em primeiro lugar os mais pobres, beneficiará portanto prioritariamente os imigrantes. Mesmo os Portugueses em situação de pobreza mais desesperante terão que partilhar com os imigrantes os recursos gastos pelo Estado nesta área. Mas não é tudo, os imigrantes causam também um grave problema de desemprego entre as classes mais desfavorecidas, pois é com eles que competem pela procura de emprego. Os salários por seu turno também descem consideravelmente em virtude de serem nivelados por baixo, como consequência da lei da oferta e da procura.
A classe média é também altamente penalizada pela imigração, pois apesar de não sofrerem uma concorrência directa no que diz respeito a empregos ou a apoios sociais, são eles que vão contribuir com a parte de leão para pagar os custos financeiros da integração dos imigrantes (habitação, saúde, apoios sociais, etç).


Por fim, alguém beneficia com a imigração: os ricos. O patronato, os empresários e os capitalistas todos eles beneficiam com a existência de mão de obra barata e abundante que lhes proporciona chorudos lucros. O resultado está bem à vista: em Portugal, nos anos últimos anos houve uma quebra acentuada no comércio automóvel e de habitação. No entanto, apesar da crise no consumo e da estagnação económica, a venda de automóveis de luxo e de andares de luxo aumentou extraordinariamente: É a classe média a pagar os custos de integração dos imigrantes e os ricos a passearem-se nos Ferraris que compraram com o dinheiro que pouparam em salários.


publicado por thestudio às 05:09
link do post | comentar | favorito

12 comentários:
De lurdes a 22 de Março de 2005 às 15:44
Pois, precisamente por pagar os impostos é que o Belmiro de Azevedo anda tão pobre e os seus trabalhadores tão ricos... Quanto à maternidade, certamente não sabe melhor que eu o que custa conciliar a actividade profissional com os filhos (sou mãe de quatro) e feminista... no que respeita à política social, caso haja uma efectiva distribuição da riqueza, conseguimos ter mais e melhor política social. É possível ensino educação e segurança social públicas, universais e gratuitas, caso os que podem contribuam para os cofres do Estado... e os imigrantes não são certamente os que mais recebem apoios do Estado...


De js a 21 de Março de 2005 às 19:56
Sócrates já tem em cima da mesa um plano eficaz... para combater a exclusão a que estão sujeitos os 2 milhões de pobres... assim ... no máximo daqui a 4 anos os pobres serão 9,5 milhões... pelo que os excluídos passarão a ser os ricos... políticas!...
FORÇ'AÍ!...
visitem-me e comentem-me em http://politicatsf.blogs.sapo.pt
... o blog que os politicos mediocres detestam!...


De TheStudio a 21 de Março de 2005 às 16:47
Tanta ingenuidade Lurdes. Aquilo a que chamas "verdadeira política social" custa dinheiro, muito dinheiro, dinheiro que nós não temos. O Estado não cria riqueza. A "política social" que o estado faz, é feita com o dinheiro dos nossos impostos. Para que o Estado possa distribuir mais apoios sociais, temos que pagar mais impostos. Tão simples quanto isso. Os imigrantes, sendo dos grupos mais pobres são dos que mais recebem do Estado e dos que menos contribuem. Quanto à baixa taxa de natalidade é necessário que o Estado crie condições para que as mulheres que trabalham possam ter filhos. São necessários apoios à maternidade. Mas não, o Estado e a Lurdes veêm nas mulheres apenas alguém a quem tosquiar e cobrar impostos. Se querem ter filhos que se arranjem, que conciliem o trabalho com os infantários que não existem.
Quanto ao Belmiro Azevedo só tens que lhe agradecer, pois ele paga impostos e paga muito. Os impostos dele servem para sustentar muitos parasitas. Além disso, é uma pessoa que criou muito emprego em Portugal. Vocês comunistas só sabem dizer mal de quem vos dá de comer. Pelo menos podiam estar agradecidos.



De lurdes a 20 de Março de 2005 às 17:57
Se tivéssemos uma verdadeira política social e de emprego, nem nós, nem os imigrantes que para cá vêm teriam os problemas que temos...
O que é certo é que a taxa de natalidade tem vindo a diminuir, levando a um decréscimo da população activa, como vamos compensar esta situação?! Quanto aos impostos, se houvesse realmente combate à evasão fiscal, se não tivéssemos tantos Belmiros de Azevedo no nosso país, isto estaria muito melhor.


De TheStudio a 18 de Março de 2005 às 19:42
LURDES: Precisamos de mais imigrantes para quê? Não está satisfeita com 500 000 desempregados, quer mais pessoas cá sem fazer nada e a viver às custas da segurança social? Não está satisfeita com os impostos que paga e quer pagar mais, para poder construir habitação e infraestruturas de forma a acolher mais imigrantes?


De ana paula fonseca a 18 de Março de 2005 às 13:00
O post está sinceramente bem construido. Como é obvio, discordo em alguns pontos mas tenho de admitir que estiveste especialmente bem no último paragrafo. em relaçao ao último comment que deixaste no ovelhanegra91 no post da toxicodependência acho que para breve publicarei um post a respeito das questões que m colocaste. Parabéns pelo post.


De lurdes a 18 de Março de 2005 às 12:12
Pera aí! eu não sou contra a entrada de imigrantes no nosso país, muito pelo contrário, nós até precisamos deles, atendendo ao decréscimo da nossa taxa de natalidade, com repercussões na população activa. O problema é vivermos numa sociedade capitalista, onde as políticas se têm destinado a proteger quem mais tem, levando a que o fosso entre ricos e pobres seja cada vez maior!


De multitudo a 18 de Março de 2005 às 02:11
calma pessoal estão aí a chegar mais hordas de brasileiros com livre circulação para ajudar a controlar o défice, pagarem as nossas reformas, pagarem mais impostos, acabar com o desemprego, dar alegria e diversão.


De TheStudio a 18 de Março de 2005 às 00:38
Lurdes: Concordo. Esta invasão de imigrantes tem como efeito proporcionar mão de obra barata e lucros astronómicos aos senhores do grande capital. A classe média que pague as casas e subsídios sociais aos imigrantes através dos seus impostos.


De lurdes a 17 de Março de 2005 às 19:07
Se houvesse realmente distribuição de riqueza neste país, se não andássemos a ser governados por gente cujo principal objectivo é favorecer ainda mais os senhores do grande capital... nada disto acontecia...


Comentar post

Contacto

 thestudio@sapo.pt

pesquisar
 

PARTIDOS DEMOCRÁTICOS PORTUGUESES:

_______

 BLOGS

Abrupto
Anjos e Demónios
Arrastão
Atlantys

 

Biblioteca de Babel
Bichos Carpinteiros
Biodesagradaveis
Blasfémias
Blog Anti blog
Boas intenções

 

Causa Nossa
Cegos Surdos e Mudos
Cinco Dias
Confraria do Atum

 

Demokratia
Diário de uma Boa Rebelde
Do Portugal Profundo

 

Faccioso

 

Gengibre Lilás
Grande Loja do Queijo Limiano

 

Império Lusitano
Impertinências
It's a Perfect Day Elise

 

Jardim do Arraial

 

Legião Invicta
Letras com Garfos
Lusitânia 88

 

Máquina Zero

 

Nova Frente

 

Observatório da Jihad
O Carvalhadas
O Crepúsculo
O Comunista
O Fogo da Vontade
O Insurgente
O Número Primo
O Triunfo dos porcos
O Velho da Montanha

 

Pena e Espada
Pictured Words
Política Maluca
Portvgvesa
Propriedade Privada

 

SG Buiça
Soberania e Nacionalismo
Some like it hot

 

The Flying Circus
Tomar Partido 2
Trinta e um da Armada

 

Último Reduto

 

REST IN PEACE
All pigs must die
Batalha final
Blog17
Blog Anti-Anacleto
Demokratia (antigo)
Dextera Vox
Galeria dos Horrores
O Número Primo (antigo)
Semiramis
Tomar Partido
posts recentes

...

Melhor marcador do Euro 2...

Euro 2012 odds

Xadrex Comb. (1)

A um amigo que discorda (...

Aventuras do Eng. Pinóqui...

Hello Boys !!

Assim vai Portugal

Acampamento de jovens do ...

Coincidências

arquivos

Junho 2012

Junho 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Março 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

blogs SAPO
subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post