Terça-feira, 22 de Março de 2005
A fome no mundo (3) – Limite Malthusiano
malthus.bmp
Thomas Malthus, um dos mais proeminentes vultos dos Sec. XVIII-XIX

As causas para a fome e miséria no mundo são de há muito conhecidas e encontram-se claramente expostas na obra de Thomas Robert Malthus (1766-1834) “Ensaios sobre população”, cuja edição revista foi publicada em 1803.

Como já referi no texto “A fome no mundo (1) – a evolução natural”, Malthus, começou por se dedicar à observação de populações de animais e de plantas, tendo concluído que tanto as espécies de animais como as de plantas produzem sempre um número de descendentes significativamente superior àqueles que têm possibilidade de sobreviver. Desta forma, o número de elementos de uma dada população aumentará sempre, desde que a quantidade de alimentos disponíveis o permita. Se a população aumentar excessivamente, ocorrerá fome assim que a quantidade de alimentos produzida for inferior à necessária para alimentar a população. Verifica-se portanto que a eliminação da fome requer (pelo menos) um equilíbrio entre os alimentos produzidos (produção) e os necessários para alimentar a população (necessidades de consumo).

Considerando uma população que produz alimentos numa quantidade adequada a essa mesma população, Malthus estabeleceu então que o fenómeno da fome irá ocorrer se a população aumentar a uma taxa superior à taxa a que aumenta a produção de alimentos. Dado que a tendência natural de uma população cuja natalidade não seja controlada é a de aumentar em progressão geométrica, a condição anterior verifica-se sempre e a fome surge então como um fenómeno natural. Malthus concluiu portanto que a fome pode apenas ser combatida controlando a natalidade, de forma a que a população não aumente descontroladamente, caso contrário haverá irremediavelmente fome.

Para estabelecer uma relação entre o desenvolvimento e o crescimento populacional, consideremos o caso de um qualquer país que tenha anualmente disponível uma dada quantia de dinheiro, proveniente da riqueza produzida no país. Esse dinheiro pode ser aplicado no desenvolvimento do país (de forma a produzir mais riqueza em anos futuros) ou na melhoria da qualidade de vida da população. Além disso, se nesse país se verificar um aumento da população, seja através de uma elevada natalidade ou de imigração, parte do dinheiro terá que ser usado na criação de infra-estruturas que permitam acolher esse acréscimo de população (casas, ruas, hospitais, escolas, transportes públicos, etç). Porém, se a taxa de crescimento populacional for suficientemente elevada, haverá um valor limite para essa taxa, o limite Malthusiano, para o qual o dinheiro ao dispor do país iguala o valor necessário para criar as condições necessárias para acolher esse acréscimo de população. Se a população aumentar a uma taxa superior a esse valor limite, o desenvolvimento desse país estagna ou regride e as condições de vida da população irão degradar-se.


Ou seja, é condição NECESSÁRIA para o desenvolvimento de qualquer país travar o crescimento populacional excessivo. A China é o exemplo de um país que conseguiu enveredar pelo trilho do desenvolvimento devido a um apertado controlo da natalidade.
Se atendermos às tendências demográficas, torna-se por demasiado evidente que o problema da fome nos países do Terceiro Mundo é causado pela explosão demográfica que se verifica nesses países. Desta forma, o envio de ajuda alimentar para os países onde há fome tem um efeito contraproducente. Essa ajuda alimentar não evita a fome nas populações, antes pelo contrário vai possibilitar um crescimento não sustentado da população agravando assim o problema da fome. Vai apenas possibilitar que a população aumente e que mais pessoas sofram com o problema da fome nos países do Terceiro Mundo.


publicado por thestudio às 22:29
link do post | comentar | favorito

5 comentários:
De Emanuel Saramago a 12 de Agosto de 2005 às 22:31
Há tanto comer deitado fora, há tanta terra por semear, há tanto desemprego...

O problema é que essa terra pertence a meia dúzia de latifundiários capitalistas.

Aqui está em duas frases o problema para a fome.

Imagina se a terra fosse de todos e a produção fosse distribuida por todos irmãmente. Não com o intuito de lucrar, mas de alimentar. Não há assim tanta gente que a terra não possa sustentar, isto é completamente absurdo!!!


De Emanuel Saramago a 12 de Agosto de 2005 às 22:30
Há tanto comer deitado fora, há tanta terra por semear, há tanto desemprego...

O problema é que essa terra pertence a meia dúzia de latifundiários capitalistas.

Aqui está em duas frases o problema para a fome.

Imagina se a terra fosse de todos e a produção fosse distribuida por todos irmãmente. Não com o intuito de lucrar, mas de alimentar. Não há assim tanta gente que a terra não possa sustentar, isto é completamente absurdo!!!


De TheStudio a 23 de Março de 2005 às 18:08
É verdade, a grande obra de Malthus tem 200 anos, assim como o teorema de Pitágoras tem 2000. As leis da Natureza agora têm um prazo de validade? Vamos aos teus factos: 1) Não se trata de um facto mas sim de uma invenção tua. É possível que alguns países do sudueste asiático estejam a tentar o controlo demográfico, mas tal controlo é completamente inexistente em África ou nos países Árabes. Informa-te antes de dizeres disparates. 2) O rendimento das terras através da agricultura moderna é superior ao do cultivo clássico, mas a população mundiar também é muito superior à de então. Como és especialista em tudo e presumo que também o sejas em matemática, deves saber que as condições de equilíbrio implicam não apenas que
os alimentos sejam suficientes mas também que a população não aumente a uma taxa superior à taxa com que aumenta a produção de alimentos, como referi diversas vezes no texto original. 3) Portanto o que tu sugeres é que nos países do terceiro mundo durmam à sombra da bananeira e se multipliquem à vontade, ao passo que o mundo Ocidental que se desenrasque para os sustentar.
Ou seja, defendes que os países pobres devem ser cada vez mais dependentes dos ricos. E se ocorrer algum cataclismo que risque do mapa os países Ocidentais, o que propões para resolver o problema da fome no Terceiro mundo? A ajuda alimentar dos extra-terrestres?




De Dito Cujo a 23 de Março de 2005 às 11:58
Errata:
1. Onde se lê "É difícil acreditar que ainda seja citado em 2005 não como curiosidade como facto." no meu comentário acima deve ler-se "É difícil acreditar que ainda seja citado em 2005 não como curiosidade mas como facto."
2. Eu não sei contar. É a única explicação para dizer que vou apresentar dois factos e depois apresento 3 ;-)


De Dito Cujo a 23 de Março de 2005 às 11:57
Malthus é tão, mas tããããão passé... É difícil acreditar que ainda seja citado em 2005 não como curiosidade como facto.
E por isso ficam aqui dois factos:
1. O crescimento da população mundial está a estabilizar, fruto das políticas de controlo demográfico
2. O rendimento (yield) das terras cultivadas de forma moderna é dezenas de vezes superiores ao rendimento obtido através do cultivo clássico
3. Muito mais importante do que o problema apresentado por Malthus é o problema da *distribuição* de bens alimentares (e não da produção, como ele afirma). O nosso planeta produz alimentos em *excesso* e que fossem adequadamente distribuídos nem haveria obesidade nos países ocidentais nem situações de fome nos países em vias de desenvolvimento
E o resto é cantiga da treta


Comentar post

Contacto

 thestudio@sapo.pt

pesquisar
 

PARTIDOS DEMOCRÁTICOS PORTUGUESES:

_______

 BLOGS

Abrupto
Anjos e Demónios
Arrastão
Atlantys

 

Biblioteca de Babel
Bichos Carpinteiros
Biodesagradaveis
Blasfémias
Blog Anti blog
Boas intenções

 

Causa Nossa
Cegos Surdos e Mudos
Cinco Dias
Confraria do Atum

 

Demokratia
Diário de uma Boa Rebelde
Do Portugal Profundo

 

Faccioso

 

Gengibre Lilás
Grande Loja do Queijo Limiano

 

Império Lusitano
Impertinências
It's a Perfect Day Elise

 

Jardim do Arraial

 

Legião Invicta
Letras com Garfos
Lusitânia 88

 

Máquina Zero

 

Nova Frente

 

Observatório da Jihad
O Carvalhadas
O Crepúsculo
O Comunista
O Fogo da Vontade
O Insurgente
O Número Primo
O Triunfo dos porcos
O Velho da Montanha

 

Pena e Espada
Pictured Words
Política Maluca
Portvgvesa
Propriedade Privada

 

SG Buiça
Soberania e Nacionalismo
Some like it hot

 

The Flying Circus
Tomar Partido 2
Trinta e um da Armada

 

Último Reduto

 

REST IN PEACE
All pigs must die
Batalha final
Blog17
Blog Anti-Anacleto
Demokratia (antigo)
Dextera Vox
Galeria dos Horrores
O Número Primo (antigo)
Semiramis
Tomar Partido
posts recentes

...

Melhor marcador do Euro 2...

Euro 2012 odds

Xadrex Comb. (1)

A um amigo que discorda (...

Aventuras do Eng. Pinóqui...

Hello Boys !!

Assim vai Portugal

Acampamento de jovens do ...

Coincidências

arquivos

Junho 2012

Junho 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Março 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

blogs SAPO
subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post