Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2006
Cartoons: Afinal, a culpa do fanatismo Islâmico é (mais uma vez) do Ocidente
Hoje em dia, deambula por aí uma classe de intelectuais,
cuja análise das questões internacionais parte sempre do inviolável dogma de que
o Ocidente é o culpado por todos os males do mundo. Se há fome no Bangla Desh, a
culpa é dos Ocidentais que lá introduziram o capitalismo ou lá não introduziram
o capitalismo. Se duas tribos africanas se desatam a matar uma à outra, a culpa
é dos Ocidentais que fizeram mal as fronteiras. Se uns terroristas Árabes
decidem lançar aviões contra as torres gémeas, a culpa é dos Ocidentais que os
fazem sentir-se tristes e oprimidos. Se Bin Laden comanda uma rede terrorista, é
porque são pobres por culpa do Ocidente. Basicamente, tudo o que fazem limita-se
a uma espécie de ginástica intelectual por forma a culpabilizar o Ocidente, seja
pela praga de gafanhotos no Chade ou por qualquer outro problema em qualquer
recanto do mundo.</p>

Em tempos, pelo nosso país era frequente contar-se a
anedota de um alfaiate que, um dia não tendo feito as calças à medida certa do
freguês, explicou ao freguês que eram as pernas deste não tinham as medidas
certas. Ora bem, esta classe de intelectuais, constatando que os seus dogmas não
são consentâneos com os factos, esforçam-se agora por explicar que são os factos
que estão errados.</p>


Um bom exemplo, é o texto publicado no blog “Deseperada
Esperança” e reproduzido pelo "Número Primo":</p>

"O Conselho Islâmico Britânico
(CIB) já veio dizer que nada tem a ver com esse grupo de pessoas
. Deveria
fazer uma condenação mais clara dessas atitudes. Parece evidente que quem leva a
cabo tais manifestações são os grupos radicais organizados, que aproveitam o
pretexto para promoverem a sua agenda. E por isso mesmo, uma organização como o
CIB deveria fazer o máximo por se distanciar dessas pessoas. Até por um aspecto
que raramente é tido em conta: os imigrantes muçulmanos que, na realidade,
querem gozar das liberdades do mundo ocidental
(...)"




Ora bem, antes de mais, não é minimamente verdade que os
imigrantes muçulmanos tenham imigrado por desejar gozar das liberdades (ou da
cidadania, como se diz no Acidental) Europeias. A razão foi e muito bem,
apontada pelo involuntariamente pelo candidato presidencial Mário Soares
enquanto elogiava o Modelo Social Europeu: Os imigrantes vêm para a Europa
porque querem beneficiar dos apoios Sociais que existem na Europa (casa, saúde,
abonos, rendimentos mínimos, etç) tudo pago pelos contribuintes Europeus e coisa
que nunca teriam nos seus países de origem. A título de exemplo, a comunidade
muçulmana na Dinamarca consome cerca de 45% das despesas sociais dinamarquesas.
Essa é a verdadeira razão que leva os imigrantes muçulmanos a fazer o sacrifício
de viver na terra dos infiéis. </p>

Passando ao segundo ponto: Será mesmo verdade que a maioria
dos muçulmanos condena o terrorismo e a violência anti-Ocidental, e apenas uma
pequena minoria o apoia? Inteiramente falso. Uma sondagem publicada pela revista
Diplo, no número de Setembro de 2005, revela que mais de 90% dos “British
Muslims” odeia os Ingleses e que a maioria aprovou os ataques terroristas em
Londres. Sondagens em França revelam igualmente a maioria da população muçulmana
possui ódio em relação aos Franceses. É por isso que organizações como a CIB são
vistas pelos muçulmanos (e não só) como verdadeiros fantoches a bailar ao som da
vontade do governo Britânico. Aliás são mesmo "forçadas" a proferir tais
afirmações para evitar males maiores.</p>

No entanto, é no parágrafo seguinte que se revela com maior
eloquência a qualidade da argumentação da já mencionada classe de intelectuais:</p>


"Veja-se o que acontece em França,
onde a diminuta mobilidade social condena quem deseja viver em França para
beneficiar de um modo de vida mais livre que o das ditaduras islâmicas, no
fundo, quem deseja "ser francês", a viver à mercê de quem foi para França, mas
que abomina e contraria um estilo de vida que é a base das nossas sociedades."




Os imigrantes muçulmanos têm culpa de odiar os Franceses?
Não, a culpa é da “reduzida mobilidade social” e portanto dos Franceses que são
afinal de contas os responsáveis por essa reduzida mobilidade. Aparentemente, o
simples facto de ter vizinhos muçulmanos "força" os muçulmanos a seguir a via do
fundamentalismo. Aparentemente, os muçulmanos não possuem consciência crítica
que lhes permita discernir o que está certo do que está errado por eles
próprios. Aparentemente, algo ou alguém impede os muçulmanos de se mudarem para
outras paragens se assim o desejarem, como fizeram por exemplo muitos
Portugueses que viviam nos banlieu dos arredores de Paris. E os
Portugueses que ficaram, possivelmente não aderiram ao fundamentalismo Islâmico
devido à "reduzida mobilidade social".</p>

Talvez o governo Francês devesse tê-los instalado (em casas
pagas pelo contribuinte Francês, claro) no Mónaco, na Riviera ou em Chamonix.
Nesse caso estaríamos agora a ouvir que a deriva fundamentalista dos muçulmanos
se devia ao facto de estes se encontrarem demasiado dispersos e desenraizados.
</p>


publicado por thestudio às 03:14
link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De necessrio responder ao fanatismo islmico a 8 de Fevereiro de 2006 às 20:13
hoje em dia, não se pode com este fanatismo islâmico, só dá vontade de retaliar com uma bomba atómica e pronto...até onde chega a burrice islâmica??? bem se ve o fraco desenvolvimento económico e social dessas culturas e um enorme falha nos valores que esses individuos têm...é que já são situações de mais, desde a revolta dos mouros em frança que destruiram propriedade de pessoas inocentes só porque lhes apetecia, até a presidentes de paises que desejam a morte de pessoas de um determinado país, ao fornecimento de ideologias propicias ao aumento do terrorismo, até estas manifestações idiotas contra cartoons, que são da responsabilidade de jornais e não de paises, para não falar que hoje em dia não há censura. o que é necessário é que haja uma educação de mentes abertas, educadas e compreensivas e não fundamentalistas, enraivecidas e sedentas de vingança e de violências como a maioria das mentes dos muçulmanos que habitam nos paises do médio oriente.


De PedroRomano a 8 de Fevereiro de 2006 às 12:46
P.S.- Para que não restem dúvidas: quem tem razão, na questão dos cartoons, somos «nós» - o Ocidente - e não «eles». O Estado dinamarquês deve proteger os cartoonistas. Os restantes estados europeus devem proibir apelos à violência e reprimir as manifestações muçulmanas que não sejam pacíficas (admitindo o direito à indignação mas repudiando a ameaça e o vandalismo). Nenhum Estado deve pedir desculpa seja a quem for. O Estado português não devia ter reagido como reagiu. Precisamente por não haver limites legais para ela (exceptuando casos de difamação, etc.), liberdade de expressão deve ser usada com parcimónia e bom senso; não penso que esses limites tenham sido transpostos neste caso. Aquilo que penso é que a decisão de publicar os cartoons não foi racional, porque trouxe alguns problemas que seriam evitáveis. Mas a razão está do nosso lado, claro.


De PedroRomano a 8 de Fevereiro de 2006 às 12:22
Caro The Studio, não sei onde leste no meu post que a culpa do fanatismo islâmico é do Ocidente. Aliás, já escrevi vários textos a contrariar essa ideia.

Em relação ao post do Desesperada Esperança, também não concordo com tudo. Mas em relação aos imigrantes que querem gozar das liberdades, posso dar o exemplo das mulheres turcas mortas por «crimes de honra» na Alemanha ou dos milhares de magrebinas a quem todos os anos são arrancados os clitoris. Presumo que estas não estejam, ao menos neste ponto, a pensar recusar as liberdades que a sociedade Ocidental concede. Ora, em determinados bairros de imigrantes (França, Alemanha, etc.) as comunidades impõem a lei com a anuência das autoridades. Isso é intolerável: quem está cá submete-se às leis que vigoram aqui, ponto final. Penso que já se entende melhor quando ele diz «no
fundo, quem deseja "ser francês", a viver à mercê de quem foi para França, mas
que abomina e contraria um estilo de vida que é a base das nossas sociedades».


Relativamente ao facto de os imigrantes estarem a favor ou não do uso da violência, a questão não me parece tão linear. Não conhecia a sondagem referida mas li, no ano passado, uma feita pelo The Guardian que apontava resultados inversos: apenas 10% apoiavam o uso da violência. Em todo o caso, não sei que tem isto a ver com a questão: o que podemos fazer? O Estado não pode criminalizar ideias ou opiniões, apenas actos. Vai repatriar os que disseram que apoiavam os terroristas? O máximo que pode fazer é impedir os apelos à violência. Por último: eu não duvido de que haja manipulação. Não é por acaso que as imagens só começaram a dar polémica agora, 4 meses depois de serem publicadas; nem é por acaso que foram apresentados às massas 3 cartoons que nem sequer foram publicados. Mas o facto de ter havido manipulação não tira a culpa de quem queima uma Igreja; dizer que há manipulação quer apenas dizer que o ódio das massas está a ser aproveitado pelos seus líderes; não é querer transferir a culpa de uns para outros, mas sim dizer que ambos são culpados.


Comentar post

Contacto

 thestudio@sapo.pt

pesquisar
 

PARTIDOS DEMOCRÁTICOS PORTUGUESES:

_______

 BLOGS

Abrupto
Anjos e Demónios
Arrastão
Atlantys

 

Biblioteca de Babel
Bichos Carpinteiros
Biodesagradaveis
Blasfémias
Blog Anti blog
Boas intenções

 

Causa Nossa
Cegos Surdos e Mudos
Cinco Dias
Confraria do Atum

 

Demokratia
Diário de uma Boa Rebelde
Do Portugal Profundo

 

Faccioso

 

Gengibre Lilás
Grande Loja do Queijo Limiano

 

Império Lusitano
Impertinências
It's a Perfect Day Elise

 

Jardim do Arraial

 

Legião Invicta
Letras com Garfos
Lusitânia 88

 

Máquina Zero

 

Nova Frente

 

Observatório da Jihad
O Carvalhadas
O Crepúsculo
O Comunista
O Fogo da Vontade
O Insurgente
O Número Primo
O Triunfo dos porcos
O Velho da Montanha

 

Pena e Espada
Pictured Words
Política Maluca
Portvgvesa
Propriedade Privada

 

SG Buiça
Soberania e Nacionalismo
Some like it hot

 

The Flying Circus
Tomar Partido 2
Trinta e um da Armada

 

Último Reduto

 

REST IN PEACE
All pigs must die
Batalha final
Blog17
Blog Anti-Anacleto
Demokratia (antigo)
Dextera Vox
Galeria dos Horrores
O Número Primo (antigo)
Semiramis
Tomar Partido
posts recentes

...

Melhor marcador do Euro 2...

Euro 2012 odds

Xadrex Comb. (1)

A um amigo que discorda (...

Aventuras do Eng. Pinóqui...

Hello Boys !!

Assim vai Portugal

Acampamento de jovens do ...

Coincidências

arquivos

Junho 2012

Junho 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Março 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

blogs SAPO
subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post